É muito interessante pensar sobre esta competência, principalmente que a todo o momento precisamos fazer escolhas e tomar decisões. A autoconfiança nada mais é do que a capacidade de acreditar no próprio potencial. Você conhece seu potencial? Será que consegue identificar no que é bom e no que não é tão bom assim? Parece uma pergunta simples de ser respondida, mas não é o que ocorre normalmente. Precisamos lembrar que ninguém será bom em tudo, por isso, no início pode ser um pouco assustador olhar para si, mas é um dos pontos cruciais para seu crescimento. Possuímos crenças equivocadas sobre nós mesmos, que podem vir de familiares, chefes, professores, vida religiosa etc.

Assim, toda essa bagagem emocional inconsciente nos leva à falta de confiança. Já o excesso de autoconfiança pode ser uma armadilha. Uma saída é utilizar o que chamarei de “zonas de segurança”, sugiro 3 opções:
1 – Definir uma pessoa confiável para que você possa compartilhar, que questione suas decisões. Aquela pessoa que não diga sempre “amém” a tudo que você fala.
2 - Caso você não tenha tantas pessoas confiáveis ao seu lado, crie um questionário com perguntas chaves, lhe ajudará a pensar em suas decisões. Exemplo: O quanto conheço desse assunto? Preciso fazer algum curso?
3 - O feedback pode ser muito útil, queira saber como seus familiares, funcionários, veem suas atitudes. Defina períodos para essa análise. Filtre tudo que escutar, pois normalmente virá carregado da bagagem emocional daquela pessoa, mas seja sincero com você ao avaliar e aceitar o que precisa mudar. Busque se conhecer, valorize suas competências e acredite em seu potencial.

Coach Marco Garcia – Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.