Estamos vivendo uma nova experiência em família: A chegada de um bebê!
Martina nasceu de parto normal, tranquila, com peso e tamanho compatíveis as 39 semanas de sua gestação.
Em seu novo lar a organização do espaço físico foi toda pensada em função da nova habitante e teve influência sobre todos os usuários da casa. Também se instalou uma nova dinâmica de comportamento. O apartamento foi arrumado e organizado de acordo com a nova composição familiar: “Ambiente preparado” ,já dizia Maria Montessori, médica e educadora italiana, é fundamental para que as coisas fluam no dia a dia.

Cores claras, lugar arejado, local para facilita o futuro engatinhar e brinquedos macios, móbile.... tudo pensado carinhosamente e em detalhes pela família.
Já na escola, o espaço físico disponível para receber bebês, a partir dos seis meses, deverá também favorecer a construção da autonomia, da identidade e da integração à rotina. O professor neste espaço é o organizador e orientador.
Os pais, com a chegada do bebê, principalmente sendo o primeiro; vão tentar seguir as orientações do pediatra e acoplar a rotina doméstica a nova situação. Importante manter a tranquilidade e dividir as novas tarefas para não exaurir a mãe que estará em recuperação e, na maioria das vezes, amamentando em curtos intervalos de tempo.
Pequenas sequências e rotinas começam a se instalar; horário do banho, horário de mamada e dormida por exemplo. A tranquilidade e a calma são aliadas importantes dos pais neste novo desafio. O choro intermitente ou o desconforto do bebê são formas dele nos lembrar que está tentando se adaptar ao mundo “do lado de fora” – e que tudo é novo: claridade/ som/cheiro etc.
O descanso da mãe deve tentar coincidir com o do bebê sempre que possível. Importante nas primeiras semanas organizar as visitas para que não sejam longas ou muito frequentes dando espaço para que a nova família se conheça no primeiro mês.
As participações e auxílios dos membros da família maior serão bem-vindos se obedecerem aos pedidos dos novos pais pela ajuda. Se esta não for solicitada o melhor é aguardar para não atrapalhar esta interação inicial, o melhor é observar antes de atuar.
Este é um momento mágico para todo o grupo familiar e nos enche de alegria e esperança! Em maio, mês dedicado à maternidade, este presente de Deus não poderia ser mais bem-vindo!

Maria Angelina Franceschini Brandão
Prima Escola Montessori de São Paulo