Esqueite ou Skate é um esporte de manobras radicais de muitas emoções que além de fortalecer as pernas, traz ao praticante, um bom equilíbrio. Ele surgiu no final dos anos 50 e começo da década de 60, na Califórnia, EUA. Os surfistas californianos usavam um brinquedo (skate), como eles diziam, para treinar o surf, fora do mar. Assim, o skate tinha fortes ligações com o surf. Jamais poderiam imaginar a dimensão, proporção e estrutura que o esporte um dia iria alcançar. Na década de 70, também nos Estados Unidos, os praticantes utilizavam piscinas vazias de cimento, mas existem também as feitas em madeira, com declives nos dois lados e o fundo arredondado, ou ovaladas e escavadas, abaixo do solo.

O skate ganha adeptos de diversas origens e idades, homens e mulheres, sendo um dos esportes mais praticados pelos jovens no planeta. Os atletas já superam os 80km/h, com manobras tipo aéreos e slides. No Brasil, o skate surgiu em São Paulo, através dos que radicalizavam sobre quatro rodinhas, só que com equipamentos rudimentares e por muitas vezes improvisados. Na época, havia uma rixa a respeito de quem trouxera o esporte para o Brasil. Seriam os paulistas, ou os cariocas? Esse bairrismo sempre existiu. O fato serve para lembrar que só nessas duas regiões, o esporte era praticado. O skate fará parte do programa Olímpico, confirma o Comitê Olímpico Internacional (COI). São várias categorias como street, bowl, freestyle e vertical. É o esporte que mais cresce no mundo, inclusive no Brasil, que deve se tornar uma potência nesse esporte. Só na cidade de São Paulo, por exemplo, existe hoje mais de 100 pistas de skate. O visual do skatista é mais agressivo. Alguns praticantes usam equipamentos de proteção, tipo joelheira, cotoveleiras, tênis, capacete para proteger a cabeça, pois tombos são inevitáveis. Essa precaução serve para evitar machucados.

Paulo Roberto Maravalhas - jornalista
E mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.