Aprendemos em Economia que sempre precisamos fazer escolhas entre opções conflitantes (trade-off). Quando escolhemos comprar um determinado bem com o nosso dinheiro, estamos abrindo mão de comprar um outro bem, ou contratar um outro serviço. Mesmo quando aparentemente não estamos fazendo nenhuma escolha, estamos optando por permanecer na mesma situação, manter o “Status Quo”.
Este conceito vale para muitas decisões corriqueiras em nossas vidas... Quando escolho dormir até tarde no domingo, deixo de ir à praia (ou de jogar vôlei, no meu caso) ... Acabamos sempre enfrentando o dilema do trade-off: se eu escolho isso, fico sem aquilo.

Como os nossos recursos são escassos (apesar de muita gente insistir em acreditar e agir como se não o fossem), talvez um dos trade-off’s mais difíceis de nosso dia a dia esteja entre consumir e poupar.
É claro que alguns incentivos do Governo podem estimular algumas escolhas.... por exemplo: taxas de juros altas influenciam positivamente a poupança, ou seja, os indivíduos têm mais incentivo a investir, pois seus recursos renderão mais. Da mesma forma, financiar seu consumo fica mais caro, desestimulando esta atitude. Porém, com juros baixos, há pouco incentivo para a poupança, já que os ganhos serão reduzidos. Igualmente, há maior atrativo para a compra financiada, porque com juros menores as parcelas não pesarão tanto no bolso.
Sendo assim, devemos pesar o lado bom e o ruim de cada escolha, procurando analisar as consequências de cada uma. Com boas escolhas no presente, o seu futuro será melhor ainda.

Leticia Camargo é economista, planejadora financeira pessoal e possui a certificação CFP® (Certified Financial Planner). Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..