Você lembra do seu primeiro livro? Não exatamente o primeiro livro que chegou nas suas mãos, mas aquela primeira história que lhe marcou, que encheu de emoção e fantasia. Agora, se concentre na primeira lembrança que veio à cabeça. Lembra da história e dos personagens? E da capa? Leu sozinho, ou com alguém? Foi na escola, ou em casa?
Vou explicar o porquê destas perguntas: cada vez mais se discute entre pais, educadores e pesquisadores como introduzir a leitura às crianças, em meio a competição cada vez mais massacrante de tablets e eletrônicos.

Afinal, por que parece ser tão difícil incutir o hábito da leitura entre os nossos pequenos?
Bom, se questionamos os hábitos dos jovens, devemos também questionar os nossos. Pense: os adultos em volta desta criança têm o costume de ler livros? Eles conversam sobre livros, personagens e escritores? Seja dentro ou fora de casa (como professores), é preciso haver uma referência ou uma cultura de leitores para permitir e incentivar o surgimento de novos leitores. E aí está uma cruel interrogação: onde estão os leitores adultos?
Voltemos, então, à primeira pergunta inicial. Relembrar as nossas primeiras leituras é voltar às primeiras emoções que sentimos através do simples ato de abrir um livro e mergulhar por inteiro nele. Nós, adultos, muitas vezes nos esquecemos da potência que tem o livro.
Para que a criança encontre esta potência, muitas vezes é necessário um adulto com a sensibilidade para guiá-la. Apenas presentear com um livro não funciona, o adulto tem de estar presente também, se interessar também pela leitura. É ótimo presentear com livro, mas melhor ainda presentear com leituras! Ler livros e ler para crianças é uma delícia! Vamos relembrar isso!

Joao Andreucci - Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.