Matérias

Outro dia, tomava café ao lado de um pai e seu filho. Como eu estava sozinha e eles não falavam tão baixo, acabei escutando a conversa...
O pai explicava que se o filho não poupasse nas pequenas coisas, nunca iria comprar algo grande. Ao que me pareceu, o amiguinho tinha comprado um brinquedo caro e o menino queria também.

O sonho de voar sempre fez parte da alma humana. A história do paraquedismo começa no dia 22 de outubro 1797, com André-Jacques Garnerin, em Paris, em um balão. Nesse esporte aéreo e mais no balonismo e no voo de asa delta e planador, os praticantes usam correntes de ar quente para flutuar no céu. Considerado esporte radical, os paraquedistas precipitam-se em quedas livres por centenas ou milhares de metros, antes de abrir o paraquedas, caindo com uma velocidade entre 200 km/h e 350 km/h. São 5 a 7 minutos no ar, mas que ficam eternizados em nossa mente. A queda livre pode ser calma, ou mais intensa. Existe também o parapente (mistura de paraquedismo com voo livre), que se trata de os paraquedistas voarem, através de uma corda ligada a uma lancha, ou a um automóvel, onde o veículo puxa o praticante que voa. Ele pode também saltar de uma plataforma, feita num morro alto, muitas vezes usadas para a prática de asa delta. É pura adrenalina. Silvio Santos foi paraquedista do Exército. Durante a segunda metade do século XX, isso se torna um hobby e vários aventureiros desbravaram a terra. O Paraquedismo teve sua maior evolução quando foi utilizado como meio de transporte na Segunda Guerra Mundial (1939-1945) para o desembarque das tropas e suprimentos militares. Hoje, o paraquedismo virou hobby. Boituva, interior de São Paulo, é a cidade brasileira do paraquedismo e dos esportes radicais. Para praticar, basta ser maior de 18 anos, fazer exame médico e um curso teórico e prático em escola certificada pela Confederação Brasileira de Paraquedismo. Os equipamentos para a prática do esporte são: paraquedas, altímetro (indica a altura que a pessoa está em relação ao solo) capacete, macacão e óculos. Em competições, existem várias modalidades, sendo a mais popular a formação em queda livre, onde se realiza o maior número de formações, durante a queda.
Paulo Roberto Maravalhas
E mail - Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

O trio: família/ escola e comunidade é o principal responsável pelo desenvolvimento das crianças, em geral. Quanto maior coerência em relação aos valores que queremos que as crianças aprendam dentro deste trio, maior a assimilação.
O ambiente escolar deve ser interessante e possibilitar a entrada dos pais para que estes participem e conheçam os conteúdos e atividades. Por exemplo: em nossa escola temos o Trabalho Conjunto, que é uma possibilidade de entrosamento acadêmico entre Pais e alunos.

São enormes as mudanças, trazidas pela Reforma Trabalhista, que altera mais de 100 (cem) artigos da antiga CLT. E, neste sentido, muito se tem dito, principalmente, sobre a questão da prevalência do negociado sobre o legislado e no fim da contribuição obrigatória, aquela em que o trabalhador contribui, mesmo contrário à sua vontade, e que não lhe é prestado contas pelos Sindicatos que recebem as enormes quantias.

É certo que cabe ao síndico fazer a guarda das áreas comuns e cuidar da edificação como um todo, e para isso em alguns casos ele precisaria adentrar dentro de uma unidade, algumas convenções trazem em seu bojo pré- autorizações perigosas, para que os síndicos entrem em residências alheias, uma vez que não contam com a prévia autorização do morador.

Comprou apartamento ou alugou um? Como proprietário ou locatário em condomínio deve-se pedir ao síndico, zelador ou administradora uma cópia da Convenção e do Regimento Interno. Tem o morador a obrigação legal de ler esses documentos, que foram criados com a instituição do condomínio. O Síndico, zelador ou administradora têm a obrigação legal de entregar cópia da Convenção e Regimento Interno ao novo morador. Essa obrigação decorre do art. 1.333, do Novo Código Civil, que assim declara na segunda parte ou parte final: “...TORNA-SE, DESDE LOGO, OBRIGATÓRIA PARA OS TITULARES DE DIREITO SOBRE AS UNIDADES, OU PARA QUANTOS SOBRE ELAS TENHAM POSSE OU DETENÇÃO”. Então, leitor, exija a cópia desses documentos para descobrir quais são seus direitos e obrigações, bem como para saber quais são as obrigações do síndico, zelador, conselho consultivo e administradora, no exercício de seus mandatos.