Matérias

A tecnologia em porcelanas dentais não para de evoluir, estamos diante de maior quantidade de tipos de porcelana que a odontologia já presenciou, desde a evolução das porcelanas ou cerâmicas injetadas até a mais recente e surpreendente tecnologia de cad cam, que vem ganhando cada vez mais espaço entre os melhores profissionais de estética da odontologia brasileira. Hoje fica impossível falar em porcelanas de última geração sem falar em tecnologia de fresagem em consultório.
Há pouco tempo atrás, um elemento em porcelana ficava pronto em 4 sessões de tratamento com um especialista em prótese.

Você sabe qual é esta palavra: /haus/?
A resposta é “house”. Nos dicionários, ou até mesmo pelo tradutor, muitas vezes, vemos um termo entre barras o qual corresponde ao som das palavras em inglês. Sim, para melhorar sua pronúncia, saber um pouco do alfabeto fonético ajuda bastante. E não é só isso. Há muitas outras técnicas para desenvolver a sua habilidade de pronunciar corretamente.

Outro dia, tomava café ao lado de um pai e seu filho. Como eu estava sozinha e eles não falavam tão baixo, acabei escutando a conversa...
O pai explicava que se o filho não poupasse nas pequenas coisas, nunca iria comprar algo grande. Ao que me pareceu, o amiguinho tinha comprado um brinquedo caro e o menino queria também.

O sonho de voar sempre fez parte da alma humana. A história do paraquedismo começa no dia 22 de outubro 1797, com André-Jacques Garnerin, em Paris, em um balão. Nesse esporte aéreo e mais no balonismo e no voo de asa delta e planador, os praticantes usam correntes de ar quente para flutuar no céu. Considerado esporte radical, os paraquedistas precipitam-se em quedas livres por centenas ou milhares de metros, antes de abrir o paraquedas, caindo com uma velocidade entre 200 km/h e 350 km/h. São 5 a 7 minutos no ar, mas que ficam eternizados em nossa mente. A queda livre pode ser calma, ou mais intensa. Existe também o parapente (mistura de paraquedismo com voo livre), que se trata de os paraquedistas voarem, através de uma corda ligada a uma lancha, ou a um automóvel, onde o veículo puxa o praticante que voa. Ele pode também saltar de uma plataforma, feita num morro alto, muitas vezes usadas para a prática de asa delta. É pura adrenalina. Silvio Santos foi paraquedista do Exército. Durante a segunda metade do século XX, isso se torna um hobby e vários aventureiros desbravaram a terra. O Paraquedismo teve sua maior evolução quando foi utilizado como meio de transporte na Segunda Guerra Mundial (1939-1945) para o desembarque das tropas e suprimentos militares. Hoje, o paraquedismo virou hobby. Boituva, interior de São Paulo, é a cidade brasileira do paraquedismo e dos esportes radicais. Para praticar, basta ser maior de 18 anos, fazer exame médico e um curso teórico e prático em escola certificada pela Confederação Brasileira de Paraquedismo. Os equipamentos para a prática do esporte são: paraquedas, altímetro (indica a altura que a pessoa está em relação ao solo) capacete, macacão e óculos. Em competições, existem várias modalidades, sendo a mais popular a formação em queda livre, onde se realiza o maior número de formações, durante a queda.
Paulo Roberto Maravalhas
E mail - Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

O trio: família/ escola e comunidade é o principal responsável pelo desenvolvimento das crianças, em geral. Quanto maior coerência em relação aos valores que queremos que as crianças aprendam dentro deste trio, maior a assimilação.
O ambiente escolar deve ser interessante e possibilitar a entrada dos pais para que estes participem e conheçam os conteúdos e atividades. Por exemplo: em nossa escola temos o Trabalho Conjunto, que é uma possibilidade de entrosamento acadêmico entre Pais e alunos.

São enormes as mudanças, trazidas pela Reforma Trabalhista, que altera mais de 100 (cem) artigos da antiga CLT. E, neste sentido, muito se tem dito, principalmente, sobre a questão da prevalência do negociado sobre o legislado e no fim da contribuição obrigatória, aquela em que o trabalhador contribui, mesmo contrário à sua vontade, e que não lhe é prestado contas pelos Sindicatos que recebem as enormes quantias.